Tag: netflix

TRIGGER WARNING: Abuso e Empatia

Trigger Warning (TW, ou ‘Aviso de Gatilho’ em uma tradução livre e literal) é um pequeno aviso sobre o conteúdo de um determinado material que pode, entre outras coisas, ativar memórias e causar algum efeito de estresse pós-traumático nas pessoas, o que vai desde um pequeno desconforto até um ataque de pânico. O termo surgiu no contexto dos blogs feministas, onde muitos artigos sobre violência sexual feminina eram escritos e colocados para discussão, como uma maneira de avisar aos leitores que, caso aquilo fosse incomodá-los, havia uma oportunidade para que a pessoa não o lesse.

Esse post é sobre 13 Reasons Why e outras coisas, vai ser MUITO longo e se você não se importar em ler, talvez ele faça mais sentido do que eu pensava que faria.

Todos temos algum problema, ou em algum momento da vida passamos por alguma situação que não conseguimos lidar sozinhos. Quando se é adolescente, estes problemas parecem que vão ser eternos e consomem todo o nosso ser. É algo explicado cientificamente, e se você viu a série da Netflix, 13 Reasons Why, principalmente o especial com os produtores e atores, você sabe disso. Pode parecer algo exagerado e uma informação desnecessária, afinal, todos já foram adolescentes e “eu não passei por isso” muitas vezes vem na cabeça de algumas pessoas. Se colocar na posição de alguém em sofrimento, é ignorar completamente o que VOCÊ sentiria e o que VOCÊ faria, é parar para pensar como aquela pessoa sente e o que ela faria. A empatia é algo muito complexo e nem sempre a gente consegue por em prática, mesmo achando que estamos.

Stranger Things

tumblr_o9xg0um4ux1qd109xo2_400

ALÔ!

ABAIXA A TV E ME ESCUTA PELO TELEFONE QUE EU TÔ ELÉTRICO!!*

SÃO CINCO DA MANHÃ E EU ACABEI ESTA SÉRIE E TÔ LOUCO ESCREVENDO ISSO!!

Okay, vou tentar me acalmar um pouquinho e falar como uma pessoa normal aqui, vamos lá. O meu dia havia começado meio zoadinho, mas então recebi uma notificação no celular com as belas palavras “Stranger Things – Disponível agora na Netflix”. Não deu outra, vendi minha alma de vez pra Netflix e cai de cara numa maratona que levou o meu dia inteirinho. Mas posso falar uma coisa? Posso, né:  VALEU 100% A PENA.

STRANGER THINGS!!!

QUE SÉRIE!!!

tumblr_oadqaaX4251r3ssslo2_400
RUN YOU FOOLS

Certo, vamos começar a falar sobre as coisas da série normalmente (como um ser humano normal, digo). Tudo é ambientado nos anos 80 (!!) e começa na cidade de Hawkins, Indiana, uma cidade suburbana (daquelas bem características de tudo que se via em filmes daquela década). Stranger Things já começa com uma cena que traz uma das grandes referências nerd da série, quatro amigos jogam Dungeons&Dragons no porão da casa de Mike (Finn Wolfhard), o “líder” do quarteto que inclui Lucas (Caleb McLaughlin), Dustin (Gaten Matarazzo), e o Will (Noah Schnapp). Depois de 10 horas a fio jogando D&D eles decidem que já era a hora de se despedirem e irem para casa. E é aí que a coisa começa. Algo acontece com Will no caminho de casa, algo o ataca e no dia seguinte… cadê Will? WILL SUMIU!

Daí em diante o resto da trama realmente começa a surgir e a se colocar no lugar.

Joyce, a mãe de Will, interpretada por Winona Ryder, corre até a polícia pedindo a ajuda do Chefe Hopper (David Habour) para encontrar o filho desaparecido, mas Hopper resiste. A cidade é pequena, Joyce é conhecida pela cidade por ser mãe solteira de dois filhos e ele pensa que ela estava sendo apenas desleixada com os filhos. Mas, bem aos poucos, ele se deixa levar e cede aos pedidos de Joyce – principalmente por se lembrar de seu passado próprio com sua família.

ONZE É MUITO PRECIOSA PRECISA SER PROTEGIDA A TODO CUSTO
ONZE É MUITO PRECIOSA E PRECISA SER PROTEGIDA A TODO CUSTO

Ao mesmo tempo em que isso acontece, o resto da cidade continua vivendo, então temos Nancy (Natalia Dyer), a irmã de Mike que ~tá de rolo~ com o garoto popular da escola, Steve (Joe Keery), enquanto Jonathan (Charlie Heaton), irmão do desaparecido Will, chama a atenção de Nancy graças à sua busca constante por sinais do irmão. E, numa parte um pouco mais afastada da minúscula cidade, uma criança estranha de cabeça raspada e nome Onze (Millie Bobby Brown) aparece. Buscas do quarteto, que mais parecem missões de RPG, acontecem enquanto a polícia tenta fazer o seu trabalho e adolescentes tentam levar a vida normalmente na cidade suburbana.

E eu acho que deveria parar de contar as coisas aqui, porque já contei até de mais, e começar a surtar de vez.

Ainda dá tempo de resenhar Jessica Jones?

Hey, amiguinhos! Sou Fernanda Nia, autora do Como eu realmente, e vim visitar vocês com a minha primeira participação especial no NUPE para resenhar Jessica Jones. Minha intenção aqui será fazer uma análise de alguns detalhes que me chamaram a atenção,​ abrindo uma discussão​  civilizada sobre os pilares estéticos e dramáticos em que se ergue a estrutura semântica de… Ah, quem eu estou enganando. A intenção é reclamar e/ou fangirlizar mesmo. Então vamos ao que interessa.

"Eu só falo o que eu quero" - Jessica Jones.
“Eu só falo o que eu quero” – Jessica Jones.
[Essa resenha contém SPOILERS detalhados do que acontece na série. Recomendo lê-la só depois de assistir a todos os episódios. A menos que você seja vid4 lok4 e goste de viver perigosamente.]

The Fall – Uma das melhores séries do universo.

the fall

The Fall  é um seriado da BBC2 com a Netflix centrado em dois personagens principais: Stella Gibson, uma detetive superintendente, e Paul Spector, um psicólogo especialista em traumas, pai de família e um serial killer nas horas vagas.

Este é um daqueles seriados que é necessário saber um resumo do primeiro episódio, mesmo que você já saiba um resumo geral, porque apenas escrever por cima fica superficial demais e bastante estranho, como vocês puderam ver na minha tentativa acima.

Dito isso, sempre que gosto muito de algum seriado ou filme ou seja lá o que for, tenho dificuldades em escrever uma resenha ou comentar sobre com os amigos ou conhecidos, porque são tantas emoções que parece que o cérebro trava e garganta fecha. Então, por favor, peço para que vocês tenham paciência com esta minha indicação de The Fall. 

Interrompemos nossa programação normal para anunciar que: MEU DEUS DO CÉU, DESVENTURAS EM SÉRIE NO NETFLIX!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Ontem eu descobri que não existem sonhos impossíveis. Que tudo tem seu tempo, é só a gente ter paciência. Que milagres acontecem. Que em meio a tanta violência, e ódio e desigualdade, ainda há esperança para um mundo melhor.

Ontem eu descobri que Netflix vai produzir uma adaptação de Desventuras em Séries e que Daniel Handler (representante legal do Lemony Snicket) terá envolvimento nisso.

Vamos juntos, delicadamente, passar pelos Cinco Estágios De Aceitação De Uma Notícia Boa Demais Para Ser Verdade.

1) Choque.

O QUE? NÃO. CALMA. HÃ??? TIPO, REPETE??? CALA A BOCA. NÃO. CALMA. HA. HA. COMO ASSIM??? CALMA. HÃÃ??????
O QUE? NÃO. CALMA. HÃ??? TIPO, REPETE??? CALA A BOCA. NÃO. CALMA. HA. HA. COMO ASSIM??? CALMA. HÃÃ??????

2) Suspeita.

NAAAAAAH, deve ser rumor. haha, tipo, cê acha mesmo? claro que não... deve ter alguma pegadinha. Tem algo errado aí...
NAAAAAAH, deve ser rumor. haha, tipo, cê acha mesmo? claro que não… deve ter alguma pegadinha. Tem algo errado aí…

3) Perca de Controle dos Seus Membros

É OFICIAL? MAS UEGHIDUHIAUGHDIGUH???? E IAUSDGABFDKAJFADKFN?? JAKLHFKJAKLFUHDAILGUDHAIUGIUER???? RESPIRAR?????????????????
É OFICIAL? MAS UEGHIDUHIAUGHDIGUH???? E IAUSDGABFDKAJFADKFN?? JAKLHFKJAKLFUHDAILGUDHAIUGIUER???? RESPIRAR?????????????????

4) Violência

EU SOU EMOCIONALMENTE CONSTIPADA E A ÚNICA FORMA QUE SEI LIDAR COM ESSES SENTIMENTOS É QUEBRANDO COISAS.
EU SOU EMOCIONALMENTE CONSTIPADA E A ÚNICA FORMA QUE SEI LIDAR COM ESSES SENTIMENTOS É QUEBRANDO COISAS.

5) Aceitação

Cool, legal, estou incrivelmente empolgada com essa notícia, mas como o ser maduro e descolado que sou, estou total nonchalant e essas coisas. Um dúvida suuuper casual: isso significa esperanças pra um filme de The Basic Eight? Estou perguntando rpa uma amiga...
Cool, legal, estou incrivelmente empolgada com essa notícia, mas como o ser maduro e descolado que sou, estou total nonchalant e essas coisas. Um dúvida suuuper casual: isso significa esperanças pra um filme de The Basic Eight? Estou perguntando pra uma amiga…

OK. Então agora que tiramos isso do nosso sistema, vamos falar de: EXPECTATIVAS!

Eu nunca fui muito de dream cast porque eu sou péssima em IMAGINAR pessoas. Único genuíno dream cast que tive na vida, acho, foi Cristina Ricci de 1999 como Flannery Culp de The Basic Eight. Meio que tarde demais para isso.

Mas no geral, eu tenho certas expectativas para o formato. Netflix já é meio que especialista em fazer temporadas de 13 episódios, o que, na minha opinião, é excelente. Eu nunca fui muito fã de episódios fillers. Mas com Desventuras em Série, a gente tem que parar e pensar um pouco.

Será que eles querem investir na série como uma mini-série (apenas 13 episódios e aí acabou-se pra sempre) ou uma série mesmo, que volta com mais temporadas e etc? Porque eu acho que uma mini-série é mais… plausível, levando em consideração que os protagonistas são crianças (uma delas: um bebê) e quando elas crianças é muito mais aparente do que adultos e etc. PORÉM, imagino que existem formas de driblar isso, seja no roteiro, ou com maquiagem, ou sei lá.

Mas se eles forem mesmo investir em apenas uma temporada com 13 episódios, é OK, porque a série tem 13 livros e cada um é bem curtinho, acho que seria ok colocar um em cada episódio. PORÉM!!! Cada livro é meio que particular em questões de acontecimentos. Mais pro começo eles são mais calmos e tal, os órfãos vivendo com os tutores, Conde Olaf aparecendo, burrice de adultos aqui, esperteza das crianças ali. Coisa simples de adaptar em um episódio de série. Mas da metade em diante, o mistério se aprofunda mais, e mais personagens aparecem, e mais coisas acontecem, e mais ação e não sei mais o que!

Daí é mais difícil imaginar um só episódio contendo tudo isso.

Mas a BOA NOTÍCIA é que a mulher que se interessou em produzir a série tem um relacionamento direto com o Handler, então eles podem trabalhar juntos nas formas de adaptar. E TUDO COMEÇA COM: A ESCOLHA DO DIRETOR.

Well, eu não conheço tantos nomes de diretores assim, mas tenho dois favoritos: Wes Anderson e Edgar Wright. Mas esse sonho já tá bom demais, e ficar desejando que algum deles faça parte da produção parece quase errado, como se eu estivesse sendo mimada ou sei lá. Seria legal se de alguma forma os caminhos do Daniel Handler e do Bryan Fuller se cruzassem e eles trabalhassem juntos nisso. Mas pouco provável.

Uma coisa que eu desejo MUITO MESMO é que a voz do Lemony Snicket seja a voz do Daniel Handler. Acho que eu aceito qualquer merda, contanto que esse pequeno presente seja dado para mim.

Por enquanto… é isso! Vamos agora aguardar mais notícias! E leiam Desventuras em Série! E leiam Só Perguntas Erradas! E leiam os outros livros do Daniel Handler! Em Fevereiro de 2015 nós teremos, finalmente, We Are Pirates!

É notícia boa pra todo canto. VAMOS CANTAR!