O Imperdível ‘Uma Mulher Fantástica’

Quinto filme a ser dirigido e escrito pelo Chileno Sebastián Lelio,  ”Uma Mulher Fantástica”, chega hoje aos cinemas brasileiros e é uma das melhores opções do leque estrangeiro. Emocionante, sensível e impactante, a película tem temática LBGT e faz você sair do cinema querendo ir ver todos os outros filmes do diretor.

Premiado em Berlim e com grandes chances de entrar na corrida do Oscar, na categoria de melhor filme estrangeiro, a trama exibe um pouco da vida da talentosa cantora lírica Marina Vidal (Daniela Veiga).

A distribuição é da Imovision.

A atriz, também trans, Daniela Vega encarna uma mulher sem igual e também igual a muitas. Sua Marina tem uma voz encantadora e um futuro promissor, mas como sabemos, nem só de arte vive a humanidade, e a moça precisa trabalhar em diversas áreas para sobreviver. Durante o dia, é garçonete. Já a noite  canta em diversos clubes de sua cidade. Há pouco menos de um ano, vem se relacionado com Orlando, personagem de Francisco Reyes. E quando começamos a acompanhar a história do casal nos deparamos com o carinho que o homem tem por ela. Mas todas as maravilhas que aquele amor a proporcionava acabam no momento em que Orlando falece e a família de seu companheiro cria dificuldades para que Marina continue vivendo bem. A moça sofre abusos, ameaças e é negada o direito de viver sua fase de luto. Tudo por ser quem é e não ter medo ou vergonha alguma disso.

Particularmente, parece redundante dizer a vocês que esta que vos escreve ama cinema mais do que qualquer outra coisa. Dizer então que ela falta sair voando quando sai da sala feliz por ter assistido uma produção que se desenvolve bem e mostra um enredo incrível, é desnecessário, neh? Mas tudo isso era só para descrever o que ocorreu exatamente quando vi ‘Una Mujer Fantastica’. Tanto pela temática, quanto pela atuação, roteiro, direção, trilha sonora, fotografia, figurino. Tudo aqui me levou aos céus.

Sei que nunca vou saber o que é ser uma mulher Trans nesse mundo tão machista e preconceituoso, ou em qualquer outro (talvez na próxima encarnação?), mas é impossível não se identificar com a dor alheia provocada por injustiças e preconceitos desumanos e o relato que vemos ali é maravilhosamente bem exposto.

Uma tremenda de uma história com uma direção estupenda.

O roteiro é muito delicado e chama atenção por não estereotipar os personagens ou deixa-los rasos. Ele dá sim espaço para imaginação em não reforçar uma idéia ou outra. Aprecia-se também como os conflitos conseguem se resolver pouco a pouco sem tornar o filme lento e entediante. Isto, na verdade, te aproxima cada vez mais de Marina e faz sentir nos olhos as dores da cantora. As aflições, os medos e tudo que lhe é infligido causa uma revolta por dentro tão grande até porque, claramente, ela não faz nada demais além de levar a vida como qualquer ser humano.

Em uma das cenas que está sendo atormentada até responde na lata eu sou igual a você!

Lelio soube não só escrever cenas e contextos sensíveis como também representa-los em imagens fenomenais. Há cenas em que a personagem aparece caminhando sozinha e seu reflexo se posta ao seu lado caminhando. Ali sente-se como ela só tem a si mesma para se apoiar e mais ninguém. Também mostra sua relação com o próprio corpo quando a deixa nua olhando suas partes e um dos mais belos takes faz analogia a como Marina resiste as tempestades que aparecem em seu caminho.

O figurino de Muriel Parra consegue dar a classe necessária a Marina e sua feminilidade fica ainda mais acentuada.

A trilha sonora original é composta por Matthew Herbert e se preenche de canções que vão de ópera ao soul norte-americano com a maravilhosa Aretha Franklin (é de cantar junto quando You Make Me Feel Like A Natural Woman toca).

Trailer

Ficha Técnica: Una Mujer Fantastica, 2017. Direção: Sebastián Lelio. Roteiro: Sebastián Lelio, Gonzalo Maza. Elenco: Daniela Vega, Francisco Reyes, Luis Gnecco, Aline Küppenheim, Sergio Hernandez. Nacionalidade: Chile. Gênero:Drama. Figurino: Muriel Parra. Fotografia: Benjamín Echazarreta. Música: Matthew Herbert. Produção: Juan de Dios Larraín, Pablo Larraín, Sebastián Lelio, Gonzalo Maza. Distribuidor: Imovision. Duração:104min.Classificação: 14 anos

 Não recomendado para menores de 14 anos

Avaliação: Cinco toneladas de força ( 5/5).

Hoje nos Cinemas!

Vejo vocês por ai!

B

Comentários
Barbara Kruczynski

Adotada pela família dos corvos, amante do som do banjo, devota de J.K.Rowling e fiel seguidora de Wes Anderson, a seu dispor ; )

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *